Nesta segunda-feira, Alckmin faz palestra no Recife, no mesmo palco onde, no início do ano, Doria foi aplaudido de pé como presidenciável. Agora, a crise que divide o PSDB,  em função do apoio ao Governo Temer, alarga os caminhos de Alckmin – tucanos de todas as plumagens o querem presidente do PSDB, por ser o único capaz de unir o partido. E, assim, seu projeto nacional começa a se consolidar a quase um ano das eleições.

Para incensá-lo, os tucanos pernambucanos prepararam uma agenda típica de candidato, começando com uma missa, no domingo, na Madre de Deus, seguindo uma visita à comunidade do Pilar.

Depois, almoça com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), acompanhado por Samuel Moreira, chefe da Casa Civil do governo paulista, e do vice pernambucano Raul Henry (PMDB).

Jarbas, a quem Alckmin convida com frequência para conversar em São Paulo, vai prestigiar o tucano no café da manhã, no Paço Alfândega, promovido pelo Lide /PE e Fiepe. Agora, todo cuidado é pouco: a candidatura de Alckmin pode envelhecer antes de chegar a eleição de 2018.

COMPARTILHAR
Artigo anterior“Abaixo a magrofobia”: Luciana Gimenez posa de calcinha e sutiã
Próximo artigoJovem morre em acidente com moto em Santa Filomena
Paulo Gonçalves Arraes, nasceu em Araripina-PE em 1969, formado em Ciências com habilitação em Biologia pela FAFOPA, com cursos de Instrutor de Trânsito e Diretor de CFC (Auto Escola) pela UPE/Detran-PE, Vereador 1999/2000 (PSB) e 2001/2014 (PPS), Assessoria Política em campanhas eleitorais na Região do Araripe e em 2009 representou Pernambuco no Movimento pela Recomposição das Câmaras de Vereadores no Congresso Nacional em Brasília.