A TV Globo repetirá o que fez com o impeachment de Dilma Rousseff e transmitirá ao vivo toda a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, marcada para o dia 2 de agosto, segundo a coluna de Mônica Bergamo no jornal Folha de São Paulo. A transmissão poderá ocupar até o horário nobre da emissora, interrompendo novelas, jogos e séries.

A previsão é que a transmissão inicie a partir do voto do primeiro deputado, com narração ao vivo até o voto do último parlamentar.

A cobertura da votação do impeachment de Dilma Rousseff, em 17 de abril de 2016, um domingo, tomou pouco mais de 6h (das 17h46 às 23h50) da programação da emissora. O processo de impeachment de Fernando Collor, em 12 de setembro de 1992, também foi televisionado de modo ininterrupto.

Ainda de acordo com Bergamo, o presidente da Câmara Rodrigo Maia já definiu o rito da votação. A sessão será aberta para discussão quando 52 deputados estiverem presentes no plenário da casa. Quando houver 257 parlamentares, e defesa, acusação e deputados já tiverem se pronunciado, a discussão será encerrada. A votação iniciará quando houver quórum de 342 deputados, o que representa 2/3 da Casa.

Se o quorum não for atingido, o presidente da Câmara deverá convocar nova sessão, até que o número mínimo de parlamentares seja atingido.

Da Redação  Por O Povo Online

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAliados do governo admitem que pode haver traição no plenário
Próximo artigoMinistério da Saúde vai mudar as embalagens de camisinhas gratuitas
Paulo Gonçalves Arraes, nasceu em Araripina-PE em 1969, formado em Ciências com habilitação em Biologia pela FAFOPA, com cursos de Instrutor de Trânsito e Diretor de CFC (Auto Escola) pela UPE/Detran-PE, Vereador 1999/2000 (PSB) e 2001/2014 (PPS), Assessoria Política em campanhas eleitorais na Região do Araripe e em 2009 representou Pernambuco no Movimento pela Recomposição das Câmaras de Vereadores no Congresso Nacional em Brasília.